No futuro, casais poderão criar bebês virtuais no metaverso

O Metaverso já está proporcionando diversas experiências virtuais para seus usuários, desta vez, um projeto bem inusitado

O Metaverso já está proporcionando diversas experiências virtuais para seus usuários, em breve, casais poderão ter a experiência de ter um bebê virtual. Esta seria uma alternativa para quem não pode ter um bebê na vida real ou outros casos.

Leia mais: Meta cria parceria com organizações brasileiras para o Metaverso

Segundo Catriona Campbell, que é especialista em inteligência artificial, esta experiência seria parecida com os tamagochis, brinquedo que foi febre nos anos 90.

De acordo com a especialista, em 50 anos esta será uma opção aceitável e que ajudará no problema da superlotação do planeta. “Dentro de 50 anos, a tecnologia vai ter avançado tanto que bebês que existem no metaverso serão indiferenciáveis daqueles do mundo real”, disse ela.

Ter um filho virtual também será uma ótima alternativa para pessoas que não tem condições financeiras de cuidar de uma criança. Segundo uma pesquisa de mercado da YouGov, cerca de 10% da população opta por não ter filhos devido ao custo da criação ser alto. No mundo virtual, os custos da criação de um filho serão mais baixos que na vida real, além de depender de um cuidado menor dos pais.

E como seriam estas crianças?

Através da machine learning, da computação gráfica e a inteligência artificial, as crianças virtuais terão uma aparência super realista, inclusive, ainda poderão responder aos pais com voz e expressões faciais. Além disso, também terão respostas emocionais.

E, por meio de uma luva tecnológica, será possível ter sensações físicas com estas crianças, proporcionando a experiência de carinho e abraço para os pais. Indo contra a natureza da vida real, os pais poderão controlar a velocidade em que crescem, além de poder optar por deixá-las bebês para sempre.

você pode gostar também
Comentários