Danny Boyle revela detalhes de sua versão cancelada de 007

O último filme da franquia 007 era para ser um tanto diferente

Quem estaria por trás da direção do filme era Danny Boyle, mas devido a diferenças criativas com os produtores Barbara Broccoli e Michael G. Wilson, o projeto foi cancelado, dando lugar a 007 – Sem Tempo Para Morrer, que foi lançado em 2021.

Leia mais: Produtora responsável por 007 fala sobre o próximo James Bond

“Eu lembro de pensar: ‘Eu realmente deveria me envolver com franquias?’ Porque eles não costumam querer algo diferente. Eles querem que você dê uma refrescada, mas não desafie nada, e nós queríamos fazer algo diferente com isso.

Estranhamente — teria sido algo muito atual, agora — tudo seria situado na Rússia, que foi evidentemente de onde veio Bond, da Guerra Fria. O filme se passava na Rússia dos dias atuais e retomava a origem do personagem, e eles só perderam a confiança nisso. Foi uma pena, realmente”, explicou Boyle.

Cuidado! A partir daqui há spoilers

O conflito que causou a saída do diretor do projeto foi a ideia de matar o James Bond, coisa que realmente aconteceu no filme de 2021. Porém, uma ideia similar que  Cary Joji Fukunaga fosse um filho para James Bond, mas eles fizeram de outra maneira.

Ao ser questionado se estaria na franquia novamente, ele disse que achava que não, mas opinou em nomes que poderiam substituir Daniel Craig no papel de espião.

Suas apostas foram Robert Pattinson que, recentemente, fez uma ótima atuação em The Batman, ou Paapa Essiedu da série I May Destroy You.

 

você pode gostar também
Comentários